Manter a Wiki no ar gera custos, nos ajude com isso nos apoiando através de apoia.se/arddhu com qualquer valor!

Vários Tiers de recompensa trazem recompensas especiais aos que apoiam continuamente.

Jardim das Sombras

From Runarcana Wiki

“Talvez você acredite que as sombras nada mais são que a ausência da Luz. Você não
estaria totalmente errado, exceto pelo fato das sombras trazerem em si todas as
possibilidades do desconhecido, do inesperado. É o que acontece com o espaço que
não é preenchido.”




O Jardim das Sombras é um reino teórico. Dizem que existe entre o Reino Espiritual e o Reino Material, um plano formado pelos pensamentos negativos, desesperos, temores e, em especial, por pesadelos dos seres vivos.

A teoria cita que é um plano puramente psíquico, mas sua existência jamais foi confirmada. Muitos estudos e cálculos apontam para a existência desse reino, do qual derivam sombras e pesadelos que se manifestam no mundo material e ao se analisar mais a fundo, uma sensação de que isso é real permanece na mente de qualquer estudioso. Vários Arcanos tentaram estudar a fundo isso, mas nunca conseguiram encontrar um acesso a tal reino mesmo conseguindo extrair forças e poderes desse reino através da magia sombria.

O nome “Jardim das Sombras” é sussurrado há mais tempo do que as nações de Valoran conseguem se lembrar, seja em Freljord, em Shurima ou até mesmo em Ionia. Essa região existe no imaginário dos vivos e por algum tempo chegou a fazer parte das histórias que as crianças contavam umas às outras com o objetivo de assustá-las.

Fora do conhecimento público, alguns manuscritos sobre tal reino estão lacrados no Bastião Imortal após um trabalho de eras pela Rosa Negra. Já em Ionia, ironicamente alguns anciãos ionianos parecem saber sobre o assunto, mas evitam falar a respeito, como se a simples menção a tal reino pudesse dar poder a ele. A única organização que parece ter tido algum sucesso concreto nessa investigação, foi a Rosa Negra, mas os resultados estão reservados apenas aos membros dos mais altos escalões de suas fileiras.

Novamente em Ionia, existe um dos únicos lugares onde se fala abertamente sobre o Jardim, entre os Ninja da Ordem das Sombras. Mas para eles o Jardim é visto muito mais como uma alegoria filosófica do que algo real e concreto, falam desse reino como se o mesmo existisse apenas na mente das pessoas, conectados ao medo.

Entre os que pertencem à Via Noctígena, há a teoria de que seja do Jardim que venha o Yanlei, o líquido preto e viscoso com o qual fazem suas tatuagens imbuídas de energia sombria e permitem que utilizem a magia das sombras. Os processos alquímicos desenvolvidos por eles para extrair Yanlei convertendo magia em magia sombria, parece reforçar esses pensamentos.

O único registro público que se tem ciência de ter existido, é o de um manuscrito encontrado em Fae’lor por Noxus que mencionava não apenas o Jardim, mas também os demônios primordiais, Azakanas e alguma relação dos mesmos com o com a criação do Jardim das Sombras, no entanto apenas uma tradução mal-feita de tal manuscrito sobreviveu, uma vez que o mesmo foi roubado enquanto era levado para Noxus. A Rosa Negra paga um bom preço por qualquer pista que leve a sua localização.

Sementes Sombrias

A única interação conhecida e confirmada entre o Jardim das Sombras e o mundo físico são as sementes sombrias, que parecem ser portais que permitem a criaturas do Jardim que entrem no plano físico. Essas sementes não possuem uma aparência definida, tendo sido registradas aparições em formas similares a um ovo, em outros casos a uma poça de piche borbulhante.

O único traço consistente entre as sementes é o material do qual elas são feitas, uma massa preta que não reflete qualquer luz e sendo a cor preta mais escura vista por qualquer um que presencie uma semente. Todas as criaturas do Jardim parecem compartilhar esse traço.

Como exatamente uma semente de sombra vem a existir, é objeto de muita discussão, alguns acreditam que isso aconteça em locais onde grandes desgraças tenham ocorrido e um forte desespero tenha sido constante, outras acreditam que elas surjam como fruto do pesadelo de uma criança mágica que não tenha experimentado seu despertar arcano ainda.

Alguns Arcanos investigando esse reino tiveram sucesso em criar uma semente através da canalização da magia sombria, no entanto a maioria optou pela destruição da mesma uma vez que as criaturas que surgiam da mesma pareciam se multiplicar de forma constante e interminável.

Uma vez que uma semente sombria é encontrada, todos esforços para destruí-la não necessários, pois dela podem surgir uma quantidade completamente desconhecida de criaturas, entre elas, Carrascos, Estigianos, Megairas, Shoblinóides e até mesmo Demônios e Espíritos dos mortos cujo tormento fez com que não conseguissem completar sua passagem e sua alma fosse capturada pelo Jardim das Sombras.

Infelizmente não existe uma forma precisa de acabar com uma semente sombria, nem mesmo campos antimagia parecem surtir efeito com elas, mas algum grau de sucesso existe entre os que tentam canalizar magia da luz através do mistério luminescente, utilizando

O Reino das Sombras

O Reino das Sombras se trata de um semiplano localizado em um ponto entre o Reino Material e o Reino Espiritual, apenas algumas criaturas são capazes de entrar e sair dele a bel-prazer, para os demais seres é necessário que uma fenda no espaço seja aberta em um local repleto de energia sombria.

Antes dos mortais surgirem, esse reino era um local pequeno até demais, com espaço suficiente apenas para abrigar uma bolinha de gude. Quando os mortais passaram a existir, seus sentimentos negativos, como culpa, vergonha, raiva ou desdém, passaram a afetar esse local, fazendo com que ele aumentasse consideravelmente… e com esse crescimento uma nova entidade chegou a surgir, A Sombra.

Com o passar dos anos e com o crescimento da população mortal, essa entidade aprendeu a controlar a energia desses sentimentos para que o Reino das Sombras possuísse uma forma, ao moldar a pura essência das sombras criada pelos mortais, onde antes não havia nada começaram a surgir coisas pequenas que aos poucos se transformaram em ambientes, desde florestas de árvores mortas a montanhas nevadas cuja neve parece cinza de um incêndio, ou até mesmo pequenos vilarejos abandonados, que refletem lembranças dolorosas de alguém.

A geografia do Reino das Sombras está sempre em mutação, com novas áreas imensas surgindo como cidades destruídas apenas para desaparecerem alguns momentos depois. No entanto, existem algumas estruturas que parecem ter se formado e permanecem fixas.

Obelisco de Marfim

Uma das únicas coisas no Reino das Sombras que parece não ser originária dali, O Obelisco de Marfim é uma coluna branca e imensa que alcança o horizonte. Essa estrutura é visível de bem longe e nela é possível ver runas espalhadas por ela, que às vezes parecem emitir um brilho oscilante.

Existem algumas entradas para esse Obelisco, mas nenhum Umbrinata ousa entrar nessa construção, que parece ter centenas de metros de diâmetro, podendo comportar até mesmo vilarejos dado o espaço.

Um único relato sobre seu interior está sob controle da Rosa Negra, é de um Arcano que investiu sua vida em alcançar o Jardim, vindo a sobreviver a isso e ter feito um breve relato de ter encontrado o Obelisco, entrado nele e perceber que o espaço ali era distorcido, existiam escadas para os andares acima mas o local que ele observou parecia ser um pesadelo saído de Freljord, com neve para todo lado e criaturas colossais à espreita.

Pântano Verde

Outra localidade que existe no Reino, é um Pântano Verde, do qual constantemente emanam vapores tóxicos, capazes de corroer a carne em segundos. Aparentemente esse local é o lar de uma poderosa Megaira, de longe é possível ver uma coluna de fumaça que jamais cessa, como se a todo momento algo estranho e sinistro demais estivesse sendo preparado em um caldeirão.

A localização do Pântano Verde, assim como a maior parte das coisas do Reino das Sombras, parece mudar com frequência, assim como seu tamanho e até mesmo a intensidade dos vapores tóxicos que emanam dele.

Em seus limites, o pântano parece ser algo que constantemente está consumindo matéria orgânica e até mesmo matéria sombria, em um processo que parece ser infinito e em muitos momentos, se parece até mesmo com uma criatura que está se alimentando.

Queda dos Ossos

Talvez a estrutura mais bizarra que existe no Reino das Sombras e já tenha sido registrada, seja a Queda dos Ossos, uma cachoeira que parece surgir normalmente brotando do chão lentamente, até se transformar em uma montanha do qual verte uma cachoeira de ossos.

Essa cachoeira se forma lentamente e ao atingir seu estado completo, os ossos que são vertidos se movem em busca de se tornarem novamente completos e com isso forma-se um lago do qual esqueletos parecem tentar sair, mas fragmentando-se momentos após se afastarem do lago formado por isso.

Cidades da Lembrança

Elas são muitas e às vezes surgem por apenas alguns minutos, mas em alguns casos elas podem durar por anos e talvez até mesmo décadas. São no geral lembranças de como algumas cidades foram, ou como elas poderiam ter sido. Todas elas são imersas em amargura e em um saudosismo e nostalgia intoxicantes.

Algumas dessas cidades surgem habitadas por criaturas que são sombras de seus antigos moradores, eles podem estar em um dia comum saindo de suas casas para fazer qualquer coisa, mas normalmente, evanescem no meio de seu caminho, dissolvendo-se em uma nuvem de cinzas.

A Sombra

Não se sabe se A Sombra é uma entidade separada do Reino das Sombras ou se ela em sua totalidade é o próprio Reino.

Essa inteligência incorpórea pode ter se formado a partir da aglutinação de medos e pavores dos mortais através dos milênios, seja como algo natural, ou como uma consequência mágica desconhecida.

O único propósito dessa inteligência parece ser o de causar medo, em todas as suas categorias e intensidade, em tudo que exista e pense. Se essa entidade se alimenta disso ou se apenas essa é a sua função, não se sabe, mas alguns estudiosos começaram a teorizar que a existência desse Reino tenha alguma conexão com os ínferos e criaturas conhecidas como demônios.

Se o Reino das Sombras é seu local de origem, isso demonstra que muito sobre ele ainda precisa ser descoberto, uma vez que essas criaturas apresentam características comportamentais e visuais completamente diferentes das dos Umbrinatas.

Umbrinatas

De tempos em tempos a sombra presente no Reino das Sombras é capaz de tomar forma, criando criaturas com propósitos de proliferar o medo para que o Reino das Sombras possa crescer.

As sementes sombrias aparentam ser espécies de portais que permitem que criaturas do Jardim das Sombras se manifestem no Reino Material, normalmente quando isso acontece, essas criaturas acabam agindo de maneira descontrolada, parecendo se importar apenas em espalhar destruição, medo, morte e terror.

Ao longo das épocas, foram catalogados alguns tipos de criaturas, embora elas sejam únicas, todas mantêm alguns traços similares, com o principal traço compartilhado entre elas, a existência de alguma área em seus corpos de uma cor preta diferente de tudo que existe, algo que não reflete luz. Esse material sombrio muitas vezes está em uma região de destaque, como o rosto, o tórax das criaturas ou desenhos pelo corpo da mesma, mas muitas vezes forma a totalidade da criatura.

Outra característica comum às criaturas do Jardim das Sombras é o fato de mesmo quando demonstram inteligência, não terem uma mente ou pensamentos que possam ser lidos, isso os torna ainda mais perigosos e imprevisíveis. Até mesmo as criaturas mais inteligentes, quanto capturadas, parecem ser imunes a qualquer perscrutação mental ou mesmo controle.

Embora sejam muitas criaturas que tenham sido encontradas e catalogadas apresentando várias diferenças entre si, existem cinco grupos principais a que essas criaturas parecem pertencer: Argois, Carrascos, Estigianos, Megairas e Nyxis.

Argoi

Criaturas de tamanho grande, até imenso, os Argoi são verdadeiras máquinas de destruição feitas de sombra e terror. Além de possuírem uma estrutura perfeita para combates e destruição, possuem um olho solitário em sua testa que tem a capacidade de anular magia, fazendo deles criaturas terríveis e ainda mais perigosas que as demais criaturas do Jardim das Sombras.

Quando um Argoi entra em combate, a criatura não irá parar por nada até destruir tudo ou ser destruída, muitas vezes conseguindo lutar mesmo sem membros ou até mesmo decapitada. Seus urros são capazes de se espalhar por quilômetros e aqueles que estejam próximos, podem até perder a consciência.

Ao que tudo indica, os Argoi não são criaturas inteligentes, se assemelhando mais a animais, no entanto assim como a maioria das criaturas do Jardim das Sombras, tentar ler sua mente ou pensamentos leva a um completo vazio. Mesmo parecendo não ter uma mente inteligente, os Argoi são extremamente ardilosos em combate e lutam com estratégias bem avançadas, muitas vezes parecendo possuir uma mente sádica.

Aparência: Seu tamanho varia de Grande a Enorme, sua anatomia tem similaridades com a de um gorila andando em duas patas com membros superiores desproporcionais, o que faz com que normalmente locomovam-se em quatro para mais velocidade. Além de possuírem normalmente três pares de olhos, possuem um olho solitário no que seria equivalente a sua testa, esse olho diferente dos outros, parece emitir um vapor luminescente e brilha em uma cor diferente dos olhos.

Carrascos

Graças ao pesadelo recorrente da morte, o Jardim das Sombras se conecta a espíritos da morte que recebem emanações d’O Lobo, gerando assim criaturas cuja função é ceifar vidas de maneira violenta e até mesmo perseguir aqueles que fogem da morte. Alguns teóricos acreditam que os carrascos estejam sob comando do Lobo, mas até hoje nada confirma essa crença.

Aparência: Carrascos são criaturas, muitas vezes quadrúpedes, com aspecto de metal negro pelo seu corpo, possuem os traços tradicionais de criaturas do Jardim da Sombras com a cor preta que não reflete luz, pares de olhos brilhantes e as vezes possuem chifres e espinhos pelo corpo. São normalmente divididos em Assombrofera e Crepusculæ:

Assombrofera

As criaturas conhecidas como Assombrofera parecem híbridos de Lobos Imensos e Grandes Felinos, com um corpo ágil e garras afiadas demais, elas parecem não possuir boca ou presas, mas sim uma espécie de elmo metálico por onde passam suas orelhas longas, podem ser vistos normalmente dois pares de olhos e da região de seu queixo se estendem vários tentáculos de aparência espectral.

Crepusculæ

Criaturas que parecem ter nascido de um pesadelo, são uma amálgama quimérica de duas criaturas que lembram muito distantemente cavalos, mas diferentes desses, sua cabeça parece um crânio e possui dentes pontudos enormes além de, cada cabeça, ter dois pares de olhos ígneos.

Estigiano

O medo da morte vem normalmente acompanhado do medo do desconhecido do que existe além, algumas criaturas do Jardim das Sombras se alinham com a tarefa de levar as almas dos que morreram para o próximo estágio. Os Estigianos são essas criaturas, sombras voadoras que por vezes se tornam etéreas. Alguns gritos de pássaros noturnos são sinal de que os Estigianos estão por perto.

Aparência: Os Estigianos possuem aparência de animais voadores (normalmente de rapina) com predominância da cor preta, mas não apenas uma cor preta como a de pelos, mas sim da total ausência de cores por seu negrume não refletir qualquer luz. Uma das características mais comuns é a presença de vários pares de olhos brilhantes e sinistros.

Megaira

Megairas são criaturas malignas e vis que ao serem originadas por sementes sombrias, se afastam rapidamente do local de nascimento procurando criar um covil, seja em cavernas ou em pântanos.

As Megairas são as mais inteligentes entre as criaturas do Jardim das Sombras, normalmente criando um covil onde passam a criar e alimentar uma semente sombria. Os reais objetivos das Megairas, como da maioria das criaturas do Jardim das Sombras, é completamente desconhecido.

Uma vez que estabeleçam seu território, a maioria dessas criaturas costuma usar o anonimato e o isolamento, com poucas vezes tendo a necessidade de se afastar desses territórios. A grande maioria delas mantém um ninho onde cuidam para que uma semente sombria se fortaleça e se expanda cada vez mais, o que se torna difícil pois as próprias emoções negativas das Megairas parecem não surtir efeito no crescimento das sementes.

Sua inteligência geralmente é grande, com muitas delas sendo conjuradoras extremamente habilidosas, o que faz com que sejam ainda mais perigosas conforme conseguem estabelecer seu poder.

Aparência: Sua aparência lembra a de um humano de idade avançada, com aparência desgrenhada, coberta de sujeira e feridas pelo corpo deformado. Embora predominantemente sua aparência e voz lembrem a de mulheres, essas criaturas não possuem sexualidades e existem casos de Megairas com a aparência de homens velhos.

Nyxis

Nyxis são criaturas malévolas e perniciosas, com extrema malícia que se nutrem do sofrimento alheio e do terror causado a suas vítimas. Possuem uma característica extremamente perigosa que é a de se multiplicarem de forma veloz e potencialmente catastrófica. Alguns parecem conseguir manipular as sombras para criar armamentos, escudos e em alguns casos, até mesmo outros Umbrinata.

Aparência: Nyxis são criaturas de tamanho que varia entre Pequeno à Grande, assim como todas criaturas do Jardim das Sombras, são majoritariamente sombrias, de uma cor que não reflete luz, normalmente possuem olhos maliciosos e brilhantes além de orelhas pontudas. Baseado normalmente no tamanho do Nyxis, existem alguns sub-tipos dessa criatura.

Nyxie

Chamados por alguns estudiosos de Eternebrosos e apelidados pelas pessoas comuns como Shoblins, os Nyxie são criaturinhas malditas que podem ser invocadas através de magia sombria mas normalmente se manifestam através de sementes de escuridão, que podem surgir pelos mais diversos motivos, desde brigas imensas entre pessoas que acabam por gerar tais sementes, até mesmo através de magias que acessem o Reino das Sombras.

Por via de regra, os Nyxie são malignos e arteiros, gostam de causar confusão e quanto mais confusão causam, mais deles aparecem. É importante acabar com essa ameaça enquanto são apenas alguns antes que se torne uma legião.

Arquinyx

Maiores que os Nyxie, os Arquinyx tem normalmente um tamanho médio para grande, geralmente são ainda mais malignos que os Nyxie além de serem poderosos e inteligentes. Sua maldade envolve todos os tipos de tortura que uma mente doentia é capaz de pensar, utilizando todos recuros a seu dispor.

É comum que junto a um Arqunyx existam vários Nixies e até mesmo um par de Tiranyx, geralmente obedecendo seu comando. Ainda assim, quando em proximidade de uma Megaira, essas criaturas obedecem às ordens das mesmas, como se as Megairas fossem de uma casta superior.

Os Arquinyx, assim como os Nyxies, costumam exibir um sorriso imenso e cheio de maldade, com presas sempre prontas para rasgar a carne, quebrar ossos e até mesmo armaduras de metal.

Tiranyx

Aparentemente os maiores entre os Nyxis, os Tiranyx são criaturas de tamanho enorme, normalmente não muito inteligentes e o mais comum é que estejam sob o comando de Arquinyx ou de um Chefe Nyxie.

Os Tiranyx são brutais e se assemelham bastante aos Argoi, embora sejam bem diferentes em suas aparências, ao contrário dos Nyxies e Arquinyx, não costumam exibir sorrisos, muitas vezes tendo um ar até próximo de neutro, até o momento em que são direcionados para batalha e matança. Quando isso acontece, a mudança de expressão dos Tiranyx é ainda mais assustadora do que a de qualquer outro Nyxis.